Archive for the ‘bicicleta’ Category

ACZS no Programa Televisivo PATROLA da RBS

junho 14, 2012

Sábado próximo (16/06/2012) será transmitida a matéria feita pelo PATROLA com a ACZS.

“É as 11h40min no doze!”

Anúncios

Não buzine, freie!!!

abril 4, 2012

Parece que a mania dos motoristas está pegando nos ciclistas, vejo cada vez mais pessoas incentivando e usando campainhas, sinetas e buzinas para tirar os obstáculos (pedestres) de sua frente.

A muito que percebo motoristas que em cruzamentos ao invés de reduzir a velocidade apenas buzinam, como se ao buzinar a culpa passasse integralmente para o veículo que está na via transversal. Seria muito mais eficiente, e saudável apertar o freio ao invés da buzina!

Se estás buzinando é porque existe algum risco de colisão, então é melhor pechar freiando a buzinando, não?!

Então, quando estiveres em situação de colisão não gaste sua atenção procurando a buzina ou a campainha, olhe o trânsito atrás de vocês, saia da trajetória de colisão, acione ou fique preparado para freiar colocando o corpo para trás.

O seu sinal sonoro será apenas mais um para poluir o ambiente e não evitará um acidente no caso do pedestre ou do motorista não escutar.

Então não buzine, FREIE!

Separação entre ciclovias e rodovias

janeiro 19, 2012

Trecho interessante extraído do Manual de Projeto Geométrico de Travessias Urbanas (DNIT, 2010).

“Quando as ciclovias com dois sentidos de tráfego são adjacentes à rodovia, podem surgir alguns problemas operacionais, a saber:

– Um dos sentidos do tráfego de bicicletas será contrário ao do tráfego de veículos adjacente, o que normalmente não é esperado;

– Quando termina a ciclovia, os ciclistas que estão no sentido contrário terão que passar para o outro lado da rodovia, se não desejarem ficar na contramão, o que não é aceitável. O tráfego no lado errado da rodovia é a maior causa de acidentes, envolvendo carros e bicicletas, e deve ser desencorajado em todas as oportunidades;

– Nas interseções, motoristas, entrando ou atravessando a rodovia, frequentemente não vêem os ciclistas que se aproximam pela sua direita, no sentido contrário, já que não esperam veículos no fluxo oposto. Mesmo as bicicletas que vêm pela esquerda frequentemente não são percebidas, principalmente quando as distâncias de visibilidade são pequenas;

– Quando uma rodovia é construída em uma faixa de domínio restrita, frequentemente se sacrifica o acostamento, diminuindo a segurança dos motoristas e ciclistas;

Muitos ciclistas usam a rodovia, e não a ciclovia, quando acham que a rodovia é mais segura, mais conveniente, ou tem melhor conservação. Esses ciclistas são sujeitos à má vontade dos motoristas, que consideram que eles  deveriam estar usando a ciclovia;

Ciclistas usando a ciclovia são geralmente obrigados a parar ou ceder a vez em todas as travessias, enquanto aqueles que trafegam pela rodovia usualmente têm prioridade nas travessias, juntamente com os veículos motorizados;

– As travessias das ciclovias podem ser bloqueadas por veículos parados ou saindo de ruas laterais ou vias de acesso;

– Devido à proximidade da faixa reservada aos veículos de sentido oposto, barreiras são frequentemente necessárias para manter os veículos fora da ciclovia ou os ciclistas fora da faixa adjacente da rodovia. Essas barreiras podem representar uma obstrução para ciclistas e motoristas, complicar a manutenção da rodovia e causar outros problemas.

Pelas razões expostas, dependendo das condições, outras soluções podem ser mais apropriadas para acomodar o tráfego de bicicletas ao longo dos corredores. Uma ciclovia não deve ser considerada como uma alternativa a melhoramento da via, mesmo que seja adjacente à mesma. Muitos ciclistas preferirão que a rua seja melhorada, ao invés de terem que andar na nova ciclovia, principalmente para viagens a trabalho.”

Este trecho do manual deixa subentendido que existirão basicamente dois tipos de ciclistas, os que têm pouca experiência e preferem utilizar a ciclovia principalmente para laser sem a preocupação dos contratempos que ela possa lhe causar e o ciclista mais experiente que utilizará a bicicleta para transporte ou esporte e preferirá trafegar junto aos automóveis onde terá maior fluidez. Vislumbro para a av. Ipiranga frequentes conflitos entre motoristas e a segunda classe de ciclistas!

Idéia para guarda-corpo da ciclovia da Av. Ipiranga

janeiro 11, 2012

Fiz um 3D rápido de uma idéia que tive, usando o mesmo material (toras de eucaliptos).

Poderia ainda ser preenchido com terra sob o guarda corpo e criar um jardim nas fendas entre as toras horizontais.

Mantendo em pauta!

dezembro 1, 2011

Amanhã terá mais uma etapa do julgamento do atropelador da Massa Crítica este ano.

Abaixo o programa da Globo repercutindo a questão da bicicleta nas cidades dias após o atentado.

https://www.youtube.com/watch?v=8zUvYwIDsLk&feature=related

Premonição?

setembro 20, 2011

Quando postei sobre a ação do Ministério da Educação de entregar bicicletas para alunos de escolas públicas, coloquei uma dose de incredulidade (clique aqui para ver a postagem antiga).

Infelizmente parece que minhas suspeitas de fracasso do programa estão se consumando, no entanto, não pela insignificante abrangência, mas sim pela papagaiada política! (notícia do G1 da entrega simbólica das bicicletas)

Fizeram no Distrito Federal uma entrega simbólica de 300 bicicletas, as crianças tiveram, alí, em suas frentes, as bicicletas, mas como era uma entrega simbólica foram recolhidas!

Alegaram que as crianças que fossem receber as bicicletas tinham que participar de um curso preparatório antes de as receberem. Mas haviam dito anteriormente que os estudante já estavam recebendo o treinamento. Enfim, enrrolation!!!

Acho que o único treinamento que receberam foi o de como passar por palhaço com ações propagandistas dos nossos políticos. Lamentável!

Enquanto a chuva não pára…

agosto 9, 2011

Dica de joguinho para passar o tempo num dia de chova como hoje.

Me impressiona o empenho dos criadores de alguns cenários!!!

Fica a dica: http://canvasrider.com/

 

2ª Edição da Festa no Velódromo

maio 18, 2011

Bicicleta no RBS Esporte de amanhã !

março 25, 2011

Respingos da tragédia

fevereiro 27, 2011

   Me argumentam que não se pode fazer a manifestação, pois complica o trânsito e que a velocidade é menor que a mínima permitida, que é a metade da máxima (nas avenidas de Porto Alegre 30km/h).

  Contraponho falando dos engarrafamentos! Todos estão a baixo da velocidade minima, não?!

   Rebatem: Sim, mas não é possivel andar mais rápido quando se tem carros entupindo a rua a sua frente.

   Aceito o argumento, mas ainda fica uma dúvida minha. Dado isso, então, não deveriam os “pardais” (controladores de velocidade) multar os carros que andam abaixo da velocidade minima?