“Pagando o pato”

by

proibido-bike

Na quinta-feira  passada, ao final de tarde, passei pedalando pela Av. Diário de Notícias, obvio que não existia a mínima condição de usar a “ciclocalçada”, pois nela estavam os usuários, ou seja, os pedestres. Sem falar na impossibilidade de ingressar na “ciclocalçada” sem ter que praticamente para a bicicleta e de ser extremamente perigoso trafegar por ela à velocidade que costumo me deslocar (>30km/h). Assim como eu, todos os ciclistas que conseguem pedalar naquele trecho além dos trinta quilômetros horários são obrigados a utilizar o bordo rente ao meio-fio, que é de seu direito conforme a legislação de trânsito vigente.

A utilização do bordo das ruas não é novidade para os ciclistas com mais experiência, a negociação com os demais usuários das vias (carros, ônibus, caminhões, outros ciclistas, pedestres, etc. )  passa a ser um comportamento, digamos, automático.  Mas em virtude da construção da dita “ciclocalçada” da Av. Diário de Notícias trafegar pelo seu bordo passou a ser uma tarefa um tanto quanto insalubre, visto que a população não foi devidade esclarecida sobre como aquele espaço deve ser usado.

Na ocasião desta quinta-feira fui surpreendido por um cidadão motorizado. Ele não trafegava a mais que 10km/h do que eu , mas sentindo-se dono da via, achou por bem me repreender, manobrando bruscamente seu automóvel e acionando a buzina com veemência de chingamento, isto a poucas dezenas de centímetros do meu guidon. Igual revés sofreu outro cicilsta que ia a cerca de 100m de mim.

A pergunta é:  será que este “pato” não tem como ser reduzido? 

Só um descontinho, tal qual o IPI (para entopir mais ainda nossas vias com carros zero quilômetros).  Pode ser?

Ou então, o desconto no IPVA para o bom motorista, que perde o desconto por não ter um lacre na placa,  mas nada acontece ao motorista que ignora que a bicicleta é um veículo?

Tags: ,

Uma resposta to ““Pagando o pato””

  1. igor Says:

    A diario de noticias ficou realmente muito pior.
    a ciclovia simplesmente aparece do nada, sem sequer uma rampa pra facilitar a transição pista/ciclovia e os motoristas julgam que a partir dali voce tem que sumir da rua. o grande projeto cicloviario não sera muito diferente disto no meu ponto de vista….

    boa sorte pra nós todxs…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: